História do Comércio do Vinho em Portugal

História do Comércio do Vinho em Portugal

Breve Resume

As uvas foram cultivadas em Portugal desde a antiguidade. Os escritos de Strabo, o grande geógrafo da Grécia antiga, indicam que os habitantes do noroeste da Península Ibérica já estavam bebendo vinho há dois mil anos. Os romanos, que chegaram a Portugal no século II a.C. e permaneceram durante mais de quinhentos anos no território. Aqui cultivaram videiras e vinificaram as margens do rio Douro, onde hoje é produzido Porto. O período de prosperidade que se seguiu à criação do Reino de Portugal em 1143 viu o vinho tornar-se uma importante exportação.

No entanto, o surgimento do vinho do Porto ocorreu muito mais tarde. Os primeiros vinhos conhecidos por este nome foram expedidos na segunda metade do século XVII. Neste período, o Marquês de Pombal colocou em prática uma série de medidas que incentivaram o desenvolvimento da vitivinicultura na região do Douro.

comércio do vinho

Tratados

Em 1386, o Tratado de Windsor estabeleceu uma estreita aliança política, militar e comercial entre a Inglaterra e Portugal. Nos termos do tratado, cada país deu aos comerciantes o direito de residir no território e negociar em igualdade de condições.  Assim sendo, na segunda metade do século XV, uma quantidade significativa de vinho português era exportado para a Inglaterra. Muitas vezes em troca de bacalhau.

O tratado comercial anglo-português de 1654 criou novas oportunidades para os comerciantes ingleses e escoceses que viviam em Portugal. Permitindo-lhes privilégios especiais e direitos aduaneiros preferenciais. Naquela época, o centro do negócio vitivinícola não era o Porto, como mais tarde se tornou. Na verdade, era a elegante cidade costeira do norte de Viana do Castelo. A sua localização no amplo estuário do Rio Lima o tornou num porto natural de confiança.

Os comerciantes importaram produtos como a lã e tecidos de algodão da Inglaterra.  Enquanto que de Portugal, exportaram grãos, frutas, azeite e o que era conhecido como “Portugal vermelho”: o vinho leve e ácido. Este era produzido nas proximidades da verdejante região do Minho, em particular nas cidades de Melgaço e Monção .